Agropecuária Tupi - F: (44) 3543-5746 - "Venha falar com o amigo Dejalma"

Portal Ubiratã Online - contato@ubirataonline.com.br
Anuncie    Anuncie    
O que você procura?

Anuncie.Anuncie.Anuncie.Anuncie
ENQUETE

Você é a favor ou contra os bares da cidade fechar às 23 horas?

A Favor (81.2%)
Contra (18.8%)

Arquivos do Portal


Mapa de Acessos

Receba Novidades

Nome:

E-mail:

 
LINK - ESPALHE POR AÍ!

Curiosidades
Postado em: 18/02/2013 às 09h00
TAMANHO DA FONTE  A- A+
No submundo da internet, site vende drogas e movimenta cerca de R$ 2,4 mi por mês

 No Silk Road, todo comércio é possível. Esse grande mercado na internet vende vários tipos de droga (de haxixe do Marrocos a cocaína da Holanda e cogumelos dos EUA), remédios controlados, equipamentos para hacking e espionagem, joias falsas, pacotes de conteúdo pornográfico.

Criado há dois anos, o serviço é investigado pela polícia dos EUA, mas continua no ar porque está escondido na "deep web", a internet profunda, espaço da rede só acessível usando o Tor, um browser para navegação anônima.

Nele, os sites têm endereços cifrados e não podem ser encontrados por mecanismos de busca tradicionais, como o Google.

Ao todo, o Silk Road movimenta cerca de R$ 2,4 milhões por mês, segundo Nicolas Christin, da Universidade Carnegie Mellon (EUA), autor do primeiro estudo sobre o site.

Concluída em julho do ano passado e revisada em novembro, a pesquisa mostra que a maioria dos vendedores comercializa poucos itens, que as entregas são feitas por correio e que drogas são o carro-chefe. Em entrevista, Christin explica o que isso significa: "O Silk Road concorre com o traficante da esquina, não com grandes cartéis".

Com 14% dos itens à venda, a principal categoria é maconha, inclusive em volume de negócios. "Suspeito que o site não seria viável se não comercializasse esse tipo de produto", diz Christin, diretor-associado do Instituto de Informação em Rede da universidade.

Na "web da superfície", como usuários da "deep web" chamam a internet comum, há poucas menções ao Silk Road. A ideia é manter o mistério: quanto menos atenção chamar, melhor. Questionado pela Folha, o responsável pelo site limitou-se a dizer: "Desculpe, temos uma política de não falar com a imprensa".

O pseudônimo usado pela pessoa -ou pelo grupo- por trás do site é Dread Pirate Roberts, personagem do romance "A Princesa Prometida" (1973), de William Goldman. No livro, Roberts não é só um pirata, mas vários, que repassam a alcunha uns aos outros em uma sucessão criminosa.

ORIGENS MILENARES

Assim como o pseudônimo de seu criador, o nome do Silk Road também é uma referência: remete à Rota da Seda, que ligou Ásia, África e Europa pelo comércio por cerca de 2.000 anos.

Embora tente manter a discrição, Dread Pirate Roberts não conseguiu: dois senadores dos EUA pediram investigação poucos meses após a inauguração do site.

Em 2012, a DEA (Agência de Combate às Drogas) admitiu investigar o Silk Road. Desde então, usuários do site relataram o sumiço de alguns vendedores.

A presença de brasileiros existe, mas é pequena. No fórum, há conversas em português e referências a cidades do país. "Meu envelope foi entregue lacrado e intacto", relata em inglês um usuário que diz ser brasileiro. Segundo ele, a entrega foi feita em "quase dois meses", disfarçada como cartão de aniversário.

Folha escreveu a cinco usuários brasileiros -um deles respondeu, pedindo anonimato. Diz ser um advogado paulistano de 26 anos. "Não acesso mais de uma vez por semana", afirma o usuário, registrado no site desde 2011 e comprador de remédios controlados.

Para Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça e professor da FGV-RJ, a lei é cinzenta sobre recebimento de drogas do exterior: "Em tese, sempre que é para consumo pessoal é caracterizado como porte". Ele defende que essa é a interpretação correta.

"Mas daí para a polícia entender e caracterizar dessa forma, é outra história." Ou seja: se for pego, o usuário pode, sim, responder por tráfico internacional.






 
Outras Notícias sobre Curiosidades
 
LINK - ESPALHE POR AÍ!




12/12/2013 - Trabalhadores que contribuíram entre 1999 e 2013 têm direito à revisão de saldos do FGTS
02/12/2013 - Palestra: OLHAR E VER, A OPORTUNIDADE MORA AO LADO!
01/11/2013 - Pelas novas regras, Comcam teria apenas 11 municípios
23/09/2013 - UVB-76 – A verdade sobre a misteriosa rádio russa que só transmite números
19/08/2013 - Copel reforça rede de distribuição de energia entre Ubiratã e Mamborê
14/08/2013 - Imagens microscópicas assustadoras
25/06/2013 - Faixa pede para que homem não se case e volte para seu ‘verdadeiro amor’
10/06/2013 - Efeito Placebo
02/06/2013 - Bicicleta da árvore
17/04/2013 - Lanchonete na Holanda cria maionese de maconha
08/04/2013 - 40 anos da morte Pablo Picasso
04/04/2013 - Marido causa tumulto em motel para flagrar traição
29/03/2013 - Velório de gato chama atenção de moradores do interior
26/03/2013 - Mulher encontra larva em bombom da Cacau Show
18/03/2013 - Se aprovado, o Brasil terá “Bolsa Novela”
08/03/2013 - Royalties do petróleo pode render quase 830 mil por ano para Ubiratã
21/02/2013 - Armadilha para captura de Pernilongo
18/02/2013 - No submundo da internet, site vende drogas e movimenta cerca de R$ 2,4 mi por mês
15/02/2013 - Horário de verão termina à 0h de domingo, 17
07/02/2013 - Você não vai gostar de saber o que está vendo nesta foto
30/01/2013 - Mulher tem vício bizarro de comer bolas de pelo de gato
15/01/2013 - Korowai, o povo que mora na copa das árvores
31/12/2012 - Sentir culpa deixa o chocolate mais gostoso
12/12/2013
Trabalhadores que contribuíram entre 1999 e 2013 têm direito à revisão de saldos do FGTS
02/12/2013
Palestra: OLHAR E VER, A OPORTUNIDADE MORA AO LADO!
01/11/2013
Pelas novas regras, Comcam teria apenas 11 municípios

Mural de Recados

Anuncie aqui! Center Car veículos

Relojoaria Oriental

Agropecuária Tupi

PL Som

Espaço Nobre

Arte Vision

Luna Bella

Arcapu

07/01/2014
Anne Beatriz
Ubiratã

Colunistas
 
Jumento Celestino
Debate Político
Publicidades
 

Linha

Pesquise no portal.::